Eu, Cláudio

Roma antiga marca uma presença fundamental na árvore genealógica da sociedade ocidental, a par da Grécia. É ali que encontramos as raízes da nossa civilização, a língua, a lei, a arquitetura, as infraestruturas, a organização do Estado. Os fundamentos do que somos hoje enquanto cidadãos firmaram-se naquele mundo longínquo e nem o obscurantismo da Idade Média os conseguiu anular. «Eu Cláudio» acompanha o percurso do mais improvável imperador da história de Roma. Portador de deficiências extremamente estigmatizadoras naquela sociedade implacável, foi menosprezado e votado ao esquecimento pelos seus cruéis familiares, o que lhe salvou a vida e levou a Imperador. Entalado entre os tristemente célebres Calígula e Nero, tem uma identidade muito própria que Robert Graves, consagrado escritor britânico, reconstrói de forma brilhante, numa escrita fluida e imaginativa.

«Eu Cláudio» acompanha esta culta e injustiçada personagem até se tornar imperador, enquanto «Cláudio o Deus» se centra no período do seu império. Ambos foram retratados pela BBC nos anos 70, numa interessante série com o mesmo título. Uma leitura essencial para quem quer conhecer melhor este período marcante da nossa história.

“Quanto a mim, dizia-me sempre: «Cláudio, tu não passas de um desgraçado, sem grande utilidade neste mundo, mas ao menos a tua vida não está em perigo»”.

Claudio

Título: Eu, Cláudio

Autor: Robert Graves

Editora: Bertrand Editora

Ano: 2012

Anúncios