Segredos obscuros

Sebastian Bergman, psicólogo criminal antissocial e amoral, perseguido impecavelmente pelos traumas do luto e da dor, é a personagem central da série policial da autoria da dupla de argumentistas suecos, Michael Hjorth e Hans Rosenfeldt. «Segredos obscuros» inaugura a série com a investigação do homicídio macabro de um jovem de 16 anos que frequentava uma escola privada de grande reputação e prestígio. Caberá à equipa de investigação liderada pelo eficiente Torkel e assessorada pelo irrascível Bergman deslindar os segredos que se escondem por detrás de uma fachada de moralidade aparentemente inquestionável.

«Segredos obscuros» não desilude o apreciador de policiais nórdicos. Não sendo uma obra fabulosa de grandes aspirações literárias, cumpre na perfeição os requisitos do género em que se insere. O enredo é cativante e coerente e a escrita tem qualidade suficiente para produzir uma boa impressão no leitor mais exigente, que não se deixa convencer facilmente por reproduções de qualidade duvidosa.

“Sebastian Bergman era melhor do que aquilo. Mais do que qualquer outra pessoa, ele conhecia o significado dos sonhos; mais do que qualquer outra pessoa, tinha de conseguir elevar-se acima desses febris resquícios do passado”.

Título: Segredos obscuros

Autores: Michael Hjorth e Hans Rosenfeldt

Editore: Suma

Ano: 2015

segredos.png