Stalker

«Stalker», o quinto livro de uma fantástica série policial nórdica, mantém a fórmula dos seus antecessores sem se tornar repetitivo nem previsível. Capítulos curtos carregados de adrenalina e que se lêem compulsivamente de coração nas mãos são novamente a característica mais marcante de uma leitura que não desilude os apreciadores do género.

Desta vez, o famoso hipnotista Erik Maria Bark e o implacável investigador finlandês Joona Lina unem esforços na perseguição de um indivíduo de identidade desconhecida que assassina as suas vítimas de forma brutal, logo após divulgar pequenos vídeos que captou das suas vidas privadas, filmados através da janela sem que elas se tivessem apercebido da sua presença.  A polícia assiste impotente aos filmes sem ter tempo de identificar a vítima a tempo de evitar a tragédia, o que leva a desesperada comissária Margot Silverman a solicitar o apoio dos pouco convencionais Erik e Joona, que pensam e agem sempre fora da caixa das convenções sociais e dos rígidos procedimentos da burocracia policial.  Os resultados são imprevisíveis e surpreendentes, mantendo o suspense na sua intensidade máxima até à apoteose final.

“Erik é arrancado ao sono por uma aragem que lhe passa no rosto. Alguém fala muito baixinho e depressa. Quando ele abre os olhos, a voz cala-se. A escuridão é quase impenetrável e ele demora alguns segundos a perceber onde está”.

Título: Stalker

Autor: Keplerstalker

Editora: Porto Editora

Ano: 2016

 

Anúncios

O homem da areia

Lars Kepler é impróprio para cardíacos. Os livros desta dupla sueca têm o dom de elevar a adrenalina ao máximo, os acontecimentos sucedem-se a uma velocidade vertiginosa, as personagens caminham constantemente à beira do abismo, há sempre algo a acontecer que nos gela o sangue e nos leva a ler avidamente o capítulo seguinte. Foi assim nos três primeiros títulos da série, mas o quarto título, «O homem da areia», é sem dúvida o mais empolgante de todos, pois é aqui que o comissário Joona Linna finalmente defronta o seu implacável arqui-inimigo, o sinistro e excecionalmente inteligente serial killer Jurek Walter.

Uma das suas vítimas, um jovem desaparecido ainda na infância, que foi dado como morto há mais de uma década, acaba por aparecer a vaguear perto de uma linha de comboio, doente e subnutrido, sem ideia de onde esteve detido durante todo aquele tempo, mas com uma certeza: a sua irmã, com quem partilhou o cativeiro, está viva. Tem início uma corrida contra o tempo para a encontrar, o que vai obrigar o imaginativo comissário a tentar manipular o criminoso para o levar a revelar o paradeiro da sua vítima. Um jogo perigoso em que o caçador facilmente se transforma em presa, deitando tudo a perder.

“Cumpro a missão até onde for possível. Se morrer, não faz mal, pensa ela, com um súbito alívio”.

Título: O homem da areia

Autor: Lars Kepler

Editora: Porto Editora

Ano: 2014

areia

A vidente

Alexander e Alexandra Ahndoril, a dupla sueca que escreve sob o pseudónimo Lars Kepler, tem um estilo muito peculiar. Os livros são extensos mas os parágrafos, repletos de ação e suspense, são pequenos e leem-se compulsivamente. Em menos de nada o livro já acabou e só nos resta comprar o volume seguinte, o mais rapidamente possível, pois qualquer amante deste tipo de leitura ficará certamente viciado ao fim de poucas páginas. Infelizmente, ainda só estão disponíveis quatro títulos da série que acompanha as investigações de Joona Linna, o comissário finlandês de olhos cinzentos como um céu tempestuoso, atormentado por um sinistro assassino em série ao estilo Hannibal Lector.

«A vidente», terceiro título da série, segue a investigação da morte violenta de uma jovem institucionalizada num centro de acolhimento para menores. As pistas levam a polícia a acreditar na culpabilidade de outra interna, que se encontra a monte levando consigo como refém um rapazinho de 4 anos. Mas as provas que parecem inequívocas são questionadas por uma suposta vidente, uma pequena vigarista que para sua própria surpresa tem visões espontâneas e incontroláveis relacionadas com o crime.

“Aproxima-se da cama. Um arrepio gelado sobe-lhe à nuca quando afasta o cobertor. O lençol está cheio de sangue já seco. Mas a pessoa que ali se deitou não estava ferida”.

Título: A vidente

Autor: Lars Kepler

Editora: Porto Editora

vidente

Ano: 2013